Blog

Gestantes Vegetarianas

Sou vegetariana e engravidei, e agora?

A gravidez é um momento ímpar na vida de uma mulher, e ao mesmo tempo em que traz muita felicidade traz uma série de dúvidas, medos e questionamentos. A geração de um ser não só muda a vida da gestante como também interfere no funcionamento de seu organismo como um todo. Algumas transformações precisam de uma atenção especial, seja a gestante vegetariana ou não. As orientações que darei aqui servem para todas as gestantes, vegetarianas ou não, e o objetivo desse artigo é desmitificar condutas sem base científica mas muito difundidas até mesmo por alguns profissionais da saúde.

“Tenho um bebê na minha barriga então eu preciso comer por dois...”  –  MITO

Toda gestante tem sim seu metabolismo aumentado e precisará compensar isso aumentando sua ingesta calórica mas se comer por dois certamente apresentará um ganho de peso bem acima do esperado. Então, quanto a mais a gestante precisa ingerir? Cerca de 300 kcal/dia já é o suficiente para a maioria, lembrando que acompanhamento médico é fundamental e esse valor pode variar… Só pra dar uma idéia de quanto isso significa na alimentação, bastaria acrescentar duas conchas de feijão por dia à alimentação habitual e já teríamos esse valor!!! Então, quando surgirem os desejos, tome muito cuidado.

bg_2Excesso de peso na gravidez está relacionado ao desenvolvimento de obesidade e diabetes não somente na gestante mas na criança também!!!!

Vários estudos comprovam que um ganho acentuado de peso durante a gestação provocam alterações no metabolismo do feto que se perpetuarão por toda a vida, incluindo a obesidade e o diabetes como já mencionei. Além disso, quanto maior o IMC (índice de massa corporal) materno maiores são as chances de recém nascidos natimortos!!! Por outro lado, uma dieta pobre em calorias e nutrientes também prejudicará não só a gestante mas provocará alterações metabólicas no organismo do feto que após o nascimento irão fazer com que o bebê acumule energia com mais facilidade, afinal a falta de alimentos durante a gravidez fez o organismo dele aprender a economizar tudo o que recebe e no futuro teremos uma criança obesa pois absorve muito bem tudo o que come. Então muito cuidado com os extremos: o ganho de peso ideal na gestação gira em torno de 8 a 12 kg e acompanhamento médico é fundamental!!!

Se eu não comer carne vou ficar anêmica”  –  MITO

A anemia é bastante comum na gestação e pode ocorrer mesmo quando a gestante come carne diariamente, por isso o acompanhamento médico mensal é fundamental!!! Em virtude de alterações metabólicas ocorridas durante a gravidez, há a chamada anemia dilucional e os valores do exame de sangue podem se mostrar alterados. Além disso, as necessidades nutricionais estão aumentadas e pode acontecer que mesmo mantendo sua dieta habitual você desenvolva anemia por aumento da demanda metabólica. A suplementação de ferro a partir do 2º trimestre está indicada para toda gestante, seja ela vegetariana ou não e um bom profissional saberá a dose certa que precisa ser administrada. Nos casos de anemia, avaliação médica é imprescindível.

Eu preciso comer peixe pelo menos 1 x por semana”   – MITO

dicas-para-uma-vida-saudavel-2Essa informação surgiu da necessidade de ingestão de ômega 3, um ácido graxo essencial presente em grande quantidade nos peixes de água fria como salmão e sardinha. O DHA, sua forma ativa, é realmente muito importante na gravidez pois interfere no desenvolvimento cerebral do feto mas pode ser obtido de outras fontes como por exemplo através do óleo de linhaça. A suplementação desse ácido graxo se faz necessária a toda gestante, vegetariana ou não, e pode ser feita através da ingesta diária de óleo de linhaça em cápsulas ou puro mesmo, sementes de linhaça ou chia. Outras funções importantes do DHA são melhora da imunidade celular e da resposta do sistema nervoso autônomo e o aumento da acuidade visual. O depósito de DHA no cérebro e na retina do feto ocorre principalmente no último trimestre da gestação e nos 3 primeiros meses de vida do bebê, tornando fundamental a suplementação materna não só durante a gravidez mas também durante todo o período de amamentação. Baixos níveis de DHA durante a gestação também estão relacionados ao desenvolvimento de má formações genéticas no feto.

Níveis baixos de vitamina D favorecem o desenvolvimento de obesidade” –  VERDADE

Alguns trabalhos mostram que níveis de vitamina D abaixo de 30 ng/ml estão relacionados ao desenvolvimento de obesidade aos 6 e 9 anos, dessa forma se faz necessária a dosagem sanguínea dessa vitamina e reposição caso esteja em níveis baixos. Exposição solar por 30 min/ semana no horário das 10:00 às 15:00 seria uma boa maneira de estimular o organismo a produzir vitamina D mas além do risco do câncer de pele, especialmente nas mulheres de pele e olhos claros, há também o risco de desenvolvimento de melasma, aquela mancha escura em formato de asa de borboleta que aparece no rosto. Então a melhor maneira de manter níveis adequados dessa vitamina é através da suplementação. Vale a pena lembrar também que o metabolismo ósseo depende diretamente dessa vitamina.

Jejuns prolongados na gravidez são contra-indicados e a gestante deve se alimentar a cada 3 horas” –  VERDADE

gravida-jardim-iogaO jejum provoca formação de corpos cetônicos que passam a ser utilizados como substrato energético para o cérebro fetal, interferindo com o desenvolvimento neuro-psico-motor do feto. Em outras palavras, há uma diminuição do número de neurônios fetais. Na gestante, a produção desses corpos cetônicos começa a acontecer após 4 horas sem se alimentar, enquanto que no organismo de uma mulher que não está grávida, essa produção só ocorre após cerca de 12 a 18 horas de jejum. Mas alimentar-se regularmente não significa comer em excesso o que pode levar a um aumento de peso, então cuidado com a qualidade nutricional do que será consumido e com a quantidade. Frutas, nozes, castanhas, iogurte a base de soja, tapioca com pasta de tofu ou grão de bico, são excelentes opções de lanches rápidos e nutritivos.

Além da suplementação de ferro e DHA, e em alguns casos vitamina D, outra vitamina que precisa ser suplementada durante a gravidez, seja a gestante vegetariana ou não é o ácido fólico ou vitamina B9. O ácido fólico exerce papel crucial na formação do tubo neural do feto e consequentemente no desenvolvimento cerebral, só que isso ocorre bem no início da gestação, até o 1º mês quando a maioria das mulheres ainda nem sabe que está grávida!!! Idealmente falando, toda mulher em idade fértil deveria suplementar essa vitamina pois sua deficiência na gestação está altamente relacionada com má formações genéticas, especialmente defeitos no fechamento do tubo neural e encefalopatias, levando muitas vezes a abortos, além de descolamento prematuro da placenta, baixo peso ao nascer, prematuridade, hemorragias e anemia na gestante.

Grávida-cortando-um-tomateAgora, se você é vegetariana e está grávida, precisamos conversar sobre a vitamina B12. As únicas fontes dessa vitamina são os produtos de origem animal, especialmente carne, vísceras, leite, ovos e laticínios, mas mesmo que seus níveis de B12 estejam satisfatórios (cuidado com essa avaliação pois os laboratórios costumam considerar como valores normais níveis extremamente baixos), ainda assim pode haver necessidade de suplementação pois estudos mostram que a quantidade de vitamina B12 ingerida durante a gestação e período de amamentação tem mais influência sobre a quantidade dessa vitamina que é transmitida ao feto e ao lactente do que a vitamina estocada pela mãe. Dessa forma, na prática, devemos suplementar vitamina B12 a toda gestante que não consuma regularmente alimentos ricos nessa vitamina, mantendo essa suplementação durante todo o período de amamentação. Para as vegetarianas estritas essa suplementação deve ocorrer sempre, mesmo fora do período gestacional e para as grávidas que não são vegetarianas uma boa avaliação é fundamental já que assim como o ácido fólico, a vitamina B12 participa também da formação do tubo neural e sua deficiência poderá causar danos neurológicos graves e irreversíveis.

Ficou com alguma dúvida? Escreva pra mim…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *